Termos de Referência - Embaixador(a)

EMBAIXADORE(A)S  DA ALIANÇA PARA OS ODS

 

  1. A Promoção da Agenda 2030, e dos ODS em particular, pressupõe um largo envolvimento de pessoas, organizações e autoridades centrais e locais.
  2. Sendo o mais ambicioso e abrangente programa já criado pela Comunidade Internacional implica inovação também ao nível das formas orgânicas de o implementar.
  3. A Aliança para os ODS é um exemplo inovador de “parceria de parcerias”, que conseguiu juntar um amplo e muito diverso espectro de organizações e personalidades da Sociedade Portuguesa.
  4. Mas, após o primeiro ano de existência verifica-se a necessidade de mais proatividade e trabalho para gerar iniciativas ou integrar informação de iniciativas existentes.
  5. A Aliança para os ODS define-se como uma entidade que procura dar voz e evidência ao que os seus membros fazem. Não pretende substituir-se a nenhuma organização que está a agir no universo dos ODS, nem criar alternativas às que já existem ou podem vir a existir.
  6. Assim não poderá criar meios financeiros próprios e consequentemente infraestruturas próprias.
  7. Mas tendo de desempenhar um papel catalisador e de informação, é imperioso que detenha meios de o fazer.
  8. Por isso a resposta terá de ser o voluntariado de pessoas que reúnam o conhecimento, a disponibilidade e o desejo de contribuir e que aceitem fazê-lo no quadro orgânico e metodológico da Aliança para os ODS.
  9. A essas pessoas será atribuído o estatuto de “Embaixador(a) da Aliança para os ODS”, através de nomeação certificada por um certo período.
  10. Essa nomeação será da responsabilidade do Presidente, em sintonia com o GPI – Grupo de Partes Interessadas e com o Conselho Superior de Honra.
  11. Cada Embaixador(a) recebe um mandato para uma meta, ou conjunto de metas, num ou vários ODS.
  12. A um Embaixador(a) poderá ser atribuído pelo Presidente o encargo de dinamizar as entidades integrantes da Aliança para a concretização de programas ou recolha de informação, nas metas que lhe estiverem atribuídas.
  13. O(a) Embaixador(a) reporta exclusivamente ao Presidente que pode fazer cessar essa responsabilidade “ad nutum”, sem prejuízo de apreciação pela sessão de GPI seguinte e pelo Plenário.
  14. A Lista oficial de Embaixadore(a)s estará disponível no website da Aliança para os ODS, com a referencia ao domínio que lhes estiver confiado.
  15. Estes termos de referência serão ratificados na próxima reunião plenária da Aliança para os ODS.