Anticorrupção

O Princípio Anticorrupção do Global Compact baseia-se na Convenção das Nações Unidas contra a Corrupção.

  • Princípio 10: As empresas devem combater a corrupção em todas as suas formas, incluindo extorsão e suborno.

A corrupção é um dos maiores desafios mundiais. É um grande obstáculo no caminho para o desenvolvimento sustentável, tem um impacto desproporcional nas comunidades mais pobres e um efeito corrosivo no tecido da sociedade. Também no setor privado o impacto é considerável, uma vez que dificulta o crescimento económico, prejudica a competição e representa graves riscos, ao nível legal e da reputação das empresas.

Em todo o mundo, as empresas estão a desenvolver regras de governança corporativa, o que lhes permite preparar-se e concentrar-se em medidas contra a corrupção, através de mecanismos de proteção da reputação e dos interesses das suas partes interessadas. Internamente, os seus mecanismos de controlo abrangem agora várias questões de ética e integridade. Cada vez mais, os gestores de investimento olham para estes mecanismos de controlo como uma prova de que as empresas implementam boas práticas de negócio e de que estão a ser bem geridas.

O Global Compact contribui para a luta contra a corrupção ao disponibilizar uma plataforma de aprendizagem e diálogo, que oferece às empresas linhas de orientação para a implementação do principio 10, através de parcerias com Gabinete das Nações Unidas Contra a Droga e o Crime (UNODC), a Transparência Internacional (TI), a Câmara Internacional de Comércio (ICC ), a Iniciativa Parceria contra a Corrupção (PACI) do Fórum Económico Mundial e com o World Bank Institute (WBI).
Grupo de Trabalho do Global Compact para o Princípio 10.

Este grupo de trabalho é composto por várias partes interessadas e tem como objectivos fornecer inputs estratégicos ao trabalho do Global Compact, no que diz respeito à matéria de combate à corrupção e ainda definir as necessidades da comunidade empresarial de implementar o Princípio 10. O grupo de trabalho procura ainda contribuir para uma maior coerência, promovendo o alinhamento das iniciativas existentes e evitando a duplicação de esforços.

 

Dia Internacional Contra a Corrupção (9 de dezembro)

O Global Compact incentiva os participantes a promover iniciativas contra a corrupção. Conheça as atividades que as agências estão a desenvolver no âmbito do combate à corrupção em todas as suas formas.  OCDE, Transparência Internacional, UNODC.

 

Global Compact Lança Relatório de Orientações no Combate à Corrupção

A task force do Grupo de Trabalho no Combate à Corrupção do Global Compact desenvolveu um documento que serve de orientação para comunicar medidas e práticas de Combate à Corrupção. As empresas que fazem parte do Global Compact são incentivadas a familiarizar-se com este guia.

 

Carta de CEOs apela a maior adesão à Convenção das Nações Unidas Contra a Corrupção

Numa carta enviada ao Secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, CEOs de grandes empresas pediram aos governos uma maior eficiência e robustez na implementação da Convenção das Nações Unidas Contra a Corrupção, apontando a adoção de mecanismos de avaliação mais eficazes, à margem da Conferência of States Parties (em Doha, em Novembro de 2009). A carta foi assinada por 24 CEOs, a convite da Câmara Internacional de Comércio (ICC), da Transparência Internacional (TI), da – Iniciativa Parceria contra a Corrupção (PACI) do Fórum Económico Mundial e do Global Compact. Esta carta deu origem a uma campanha global ao convidar CEOs de empresas de todo o mundo a assinar a declaração de apoio à Convenção.
A campanha em torno da Carta dos CEOs foi fortemente significativa na chegada ao consenso na Conference of the State Parties, relativamente à inclusão do setor privado na lista de atores que devem ser consultados quando são feitas as avaliações.

 

Identificação de Instrumentos de Combate à Corrupção

A Identificação de Instrumentos de Combate à Corrupção destina-se a orientar as empresas ao longo de várias iniciativas e ferramentas de implementação do Princípio 10. Esta identificação consiste na categorização dos instrumentos existentes, como por exemplo “Princípios Voluntários”, “Relatórios”, etc. Os instrumentos que constam deste levantamento servem para guiar e ajudar as empresas na sua luta contra o suborno e a corrupção e podem ser consultadas mediante pagamento de um valor simbólico.