Notícias

Secretário-geral das Nações Unidas envia mensagem no Dia Internacional da Família

Foi celebrado na passada terça-feira, 15 de maio, o Dia Internacional da Família. O Secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, aproveitou a oportunidade para dirigir uma mensagem às famílias, destacando a dedicação em relação aos núcleos familiares com o mundo do trabalho, num momento de crise económica e financeira.

Em 1993, a Assembleia Geral da ONU proclamou o dia 15 de maio como Dia Internacional da Família e, desde então, a data tem sido assinalada com chamadas de atenção para questões que influenciam o dia-a-dia da Família, como forma de reconhecer o papel nuclear da família na sociedade e de impulsionar a adoção de medidas no plano nacional e internacional para melhorar sua condição.
O Dia Internacional da Família é comemorado à escala mundial e em Portugal foi celebrado por diversas entidades, com atividades lúdicas, espetáculos e iniciativas de caráter social, de norte a sul do país, destacando a importância das famílias na sociedade.
Abaixo, pode ler a mensagem de Ban- Ki-moon:
O Dia Internacional da família deste ano destaca a necessidade do equilíbrio trabalho-família. O objetivo é ajudar os trabalhadores de todo o mundo a sustentaram financeira e emocionalmente as suas famílias, mas também a contribuírem para o desenvolvimento socio-económico da sociedade em que se inserem.
As tendências atuais enfatizam a crescente importância das políticas sobre a relação entre trabalho e família. Estas tendências incluem uma maior participação das mulheres no mercado de trabalho, a crescente urbanização e a mobilidade em busca de emprego.
Com as famílias a tornarem-se menores e as gerações a viverem separadas, a família ampliada está menos disponível para oferecer cuidados, e os pais trabalhadores enfrentam crescentes desafios.
Milhões de pessoas em todo o mundo vivem sem condições dignas de trabalho e apoio social para se ocupar de suas famílias. Os cuidados infantis de qualidade a preços acessíveis raramente estão disponível nos países em desenvolvimento, onde muitos pais são forçados a deixar seus filhos, em idade pré-escolhar, sozinhos em casa. Muitas crianças também são deixadas aos cuidados de irmãos mais velhos que, por sua vez, são retirados da escola.
Alguns países, todavia, oferecem boas condições de licença maternidade e outras vantagens. Muitos mais, entretanto, oferecem poucos benefícios em conformidade com os padrões internacionais. As licenças de paternidade ainda são raras na maioria dos países em desenvolvimento.
Modalidades flexíveis de trabalho, incluindo horas de trabalho escalonados, horários de trabalho compactados ou de teletrabalho são algumas das práticas que se estão a tornar disponíveis, mas ainda há muito para melhorar em toda parte. Estou comprometido com este tema na nossa própria organização, onde atualmente olhamos para as nossas próprias estruturas e vemos o que podemos fazer melhor.
Temos de responder às complexidades em constante mudança de trabalho e de vida familiar. Congratulo-me com o estabelecimento de locais de trabalho favoráveis à família, através de disposições de licença parental, regimes de trabalho flexíveis e melhor cuidado com os filhos.
Esse tipo de políticas e programas são fundamentais para melhorar o equilíbrio entre trabalho e família. Podem também levar a melhores condições de trabalho, saúde, aumento na produtividade do trabalhador e a um planeamento mais eficiente na questão da igualdade de género.
Políticas de equilíbrio entre o trabalho a família demonstram, por um lado, o compromisso de um governo para com o bem-estar das famílias e, por outro, o compromisso do setor privado com a responsabilidade social.
Neste Dia Internacional das Famílias, renovemos o nosso compromisso de promover o equilíbrio entre o trabalho e a família para o benefício das famílias e da sociedade em geral.

 

Ban Ki-moon