Business Ambition for 1.5ºC – O nosso único futuro

Apresentada recentemente pelo United Nations Global Compact e assinada por diversos líderes de empresas de referência, a “Business Ambition for 1.5ºC” é uma carta que incentiva as empresas, a nível mundial, a criarem medidas de combate às alterações climáticas.

O documento encoraja as organizações a empenharem-se verdadeiramente na preservação do planeta, exigindo a assunção de um compromisso com metas concretas que devem ser alcançadas em matéria de redução da emissão de gases com efeito de estufa, essenciais para travar o aquecimento global. Alcançar a transição para uma economia de baixo carbono e evitar o sobreaquecimento da atmosfera são os seus principais objetivos.

Este apelo surge em linha com o “Global Warming of 1.5 ºC”, um relatório apresentado pelo Painel Intergovernamental sobre as Alterações Climáticas (IPCC) que aborda os impactes negativos e os riscos decorrentes do aumento das temperaturas e alerta para a urgência da criação de medidas que impeçam este aquecimento.

Realizada à escala mundial, esta call to action pretende que, até 2050, sejam alcançadas as zero emissões líquidas. Porém, a mesma permite que as empresas estabeleçam metas intercalares de curto e médio prazos, de modo a fazerem um acompanhamento mais próximo do seu processo evolutivo, dando também aos seus stakeholders provas de que estão, de facto, empenhadas em diminuir a pegada ecológica e em contribuir para a sustentabilidade do planeta.

Deste modo, ao assinarem esta carta, as organizações assumem publicamente o compromisso de alinhar os seus planos de descarbonização com a ambição de limitar – ou mitigar – o aquecimento global, através de uma das duas opções assinaladas em baixo ou por via da combinação de ambas:

Opção 1 | Metas científicas 1.5ºC: alinhar as suas metas com a redução de emissões de gases com efeito de estufa, em todos os âmbitos relevantes, evitando um aquecimento superior a 1.5ºC;
Opção 2 | Compromisso de zero emissões líquidas: estabelecer o compromisso público de alcançar as zero emissões líquidas até 2050, em linha com os cenários 1.5ºC e com os critérios e recomendações da “Science Based Targets initiative” (SBTi).
Importa explicar que a SBTi é uma iniciativa conjunta, criada pela Customer Data Platform (CDP), pelo UN Global Compact, pelo World Resoruces Institute (WRI) e pelo World Wildlife Fund (WWF), que procura estimular a ambição empresarial e ajudar as empresas a procurarem soluções para combater as alterações climáticas.

As organizações que já dispõem de estratégias que estão em linha com as metas da SBTi são igualmente convidadas a assinar esta carta, demonstrando a sua liderança em matéria de combate às alterações climáticas e assumindo, tal como as restantes, o seu compromisso com o planeta.

Independentemente da opção escolhida pelas organizações, as suas estratégias devem incluir sempre as emissões previstas nos âmbitos 1 e 2 (ou seja, que decorrem de fontes geridas e controladas por si ou que são produzidas a partir da utilização de eletricidade, vapor, calor e frio). Em circunstâncias mais específicas, as estratégias podem ter de abranger também as emissões realizadas pelos stakeholders das organizações (e que estão previstas no âmbito 3).
 
A Global Compact Network Portugal (GCNP) é a rede portuguesa do United Nations Global Compact (UNGC), que reúne os participantes da iniciativa com sede ou que operam em Portugal.
© All Rights Reserved