Erro
  • Erro ao carregar sinal web

Notícias UN Global Compact

Oceanos: um mundo de oportunidades para os ODS

 

 
 
 
 

O estudo “Global Goals, Ocean Opportunities”, produzido pelo United Nations Global Compact, revela que o setor privado é fundamental para garantir a saúde, a produtividade e a boa governação dos oceanos, sublinhando que estes podem ser a chave para cumprir a Agenda 2030 e alcançar os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

 

Estando ligados a todas as formas de vida, os oceanos assumem-se como o nosso “maior bem comum”, unindo todas as pessoas e todos os seres que habitam a Terra. E é a forma como os gerimos e protegemos que vai determinar o sucesso do alcance dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).
De acordo com o relatório “Global Goals, Ocean Opportunities”, produzido e apresentado recentemente pelo United Nations Global Compact, os oceanos podem mesmo ser a chave para alcançar todos os ODS (e não apenas o objetivo 14, sobre a proteção da vida marinha). Porém, e devido a uma má gestão humana de que tem sido alvo, estes encontram-se em estado de degradação, tendo consequências negativas também sobre a biodiversidade, as comunidades costeiras e a própria saúde do planeta.
Dividido em três partes – saúde, produtividade e boa governação – o estudo apela assim ao reforço da cooperação internacional, à criação de mais e melhores soluções globais e a uma colaboração mais estreita entre o setor público e o privado.
Praticamente a uma década do prazo estipulado para o cumprimento dos ODS, é tempo de tomar decisões urgentes, cujas consequências serão sentidas tanto pelas gerações atuais como pelas futuras. Deste modo, promover a sustentabilidade e a saúde dos oceanos é, não só uma forma de proteger a vida marinha, como também de garantir a prosperidade de todas as pessoas e do planeta.
Está nas mãos de todos nós:
- Melhorar a saúde dos oceanos e evitar a sua poluição;
- Mapear os oceanos, tornando-os objeto de investigação e inovação;
- Escolher alimentos saudáveis provenientes dos oceanos;
- Produzir energia limpa e acessível, disponibilizando-a a todas as pessoas do planeta;
- Procurar soluções sustentáveis e de baixo carbono para o transporte marítimo.
E poucos dias após a celebração do Dia Mundial dos Oceanos (8 de junho), existe uma certeza que não pode ser ignorada nem esquecida: a de que nenhuma nação, indústria ou entidade será bem-sucedida se atuar sozinha, sendo necessária a cooperação e a colaboração de todos os países, de todas as organizações e de todas as pessoas.
 
[by Global Compact Network Portugal, 11-06-2019]